Quarta-feira, 16 de Novembro de 2011

O relógio já tocou

Descendo pela estrada caida no céu

Voamos caindo do nada subindo em cada eu

Até sem quadros pintamos numa tela de noite

Somos bisnagas entretidas a deslizar em plenitude

Rabiscos, tristezas, pedras no açude.

 

O nosso chão é de madeira mas não deixa de nos marcar

Os teus passos são aromas que nao deixam de persistir

Levas em ti tudo o que fica mas nada do que tiraste

Se conquistas trazes de volta, se amas deixas voar

 

Será que o branco que tudo apaga não se perde a cada olhar

Se com as cores tu impedes a noite de despertar

Mas na noite é que tu brilhas e consegues-te esconder

Registas laivos de loucura enquanto procuras viver

 

Tudo é simples mas difícil, custa tanto que é tão fácil

Se nem tudo tem um preço será que um dia o pagaste

Levas as mãos ao bolso e descobres que afinal

O relógio já tocou, ouviu-se o sino do desgaste

Já nem sabes o que ler, tudo é simples mas difícil

Custa tanto que é tão fácil

Se nem tudo tem um preço

É porque um dia já o pagaste.

 

Melancholic Soul 16/11/2011

Rabisco da autoria de Melancholic Soul às 17:30
link do post | Reage! | favorito

-->Eu sou o que sou, não o que fazem de mim

-->Procura-o

 

-->Novembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


-->Ultimos Rabiscos

--> O relógio já tocou

--> Aqui

--> Deitar

--> É só mais um dia, talvez....

--> Improviso

--> New

--> Cabaret Fortuna - Bar Abe...

--> +

--> +

--> ...

-->Rabiscos Guardados

--> Novembro 2011

--> Setembro 2011

--> Agosto 2011

--> Fevereiro 2011

--> Janeiro 2011

--> Novembro 2010

--> Agosto 2010

--> Junho 2010

--> Abril 2010

--> Fevereiro 2010

--> Janeiro 2010

-->tags

--> todas as tags

-->Ligações

-->Visitas lembradas

Contador de visitas
Contador de visitas

-->subscrever feeds